Antifraude da Konduto coleta mais de 2 mil variáveis para analisar uma venda

A Konduto, primeiro antifraude do mercado a utilizar as tecnologias de inteligência artificial e comportamento de navegação, anunciou que seu sistema já é capaz de coletar mais de 2 mil variáveis diferentes sobre uma única venda online. Desta forma, a ferramenta é capaz de realizar análises de risco de altíssima precisão, melhorando ainda mais os resultados financeiros dos lojistas, marketplaces e meios de pagamento que utilizam a solução.

Uma atualização recente no modelo de monitoramento em páginas de checkout permitiu que a empresa passasse a receber 250 novas informações sobre transações na internet. Até então, a Konduto já levava em consideração mais de 1.800 variáveis sobre pedidos para calcular o risco de fraude sobre pagamentos on-line, sejam eles feitos com cartão de crédito, débito ou boleto bancário.

“Muitos profissionais de e-commerce acreditam que conferir informações básicas do cliente – como nome completo, CPF, data de nascimento e endereço de entrega – é suficiente para saber se uma compra é fraudulenta ou não. Nosso sistema vai muito além disso, combinando todas as técnicas tradicionais do mercado e acrescentando todo o monitoramento de navegação e compra do cliente. Assim, o antifraude tem muito mais insumos para fazer uma análise de altíssima precisão e em menos de 1 segundo, aumentando consideravelmente a performance do lojista”, explica Tom Canabarro, co-fundador da Konduto.

Desta forma, a Konduto consegue oferecer a seus clientes uma solução de risco que não se limita a uma ou duas técnicas de verificação de risco. Os sistemas inteligentes do antifraude tornam-se um enorme “campo minado cibernético”, com várias armadilhas prontas para detectar transações potencialmente suspeitas. “Um fraudador se revela pela maneira como navega em um site ou app de e-commerce. Ele pode ter milhares de cartões de crédito clonados e centenas de identidades falsas, mas ele certamente não saberá se comportar como um cliente legítimo durante o processo de compras”, reforça Canabarro.

Segundo a Konduto, o e-commerce brasileiro possui uma taxa de tentativa fraude consideravelmente alta no cenário internacional: 3,03%. A maioria destes pedidos, porém, é barrada no instante da compra pelos sistemas antifraude, sem que o lojista sofra o prejuízo de um chargeback (contestação). Adquirentes e operadoras de cartão de crédito consideram que uma loja virtual saudável não deve ter uma taxa de chargebacks superior a 1% do faturamento (bruto), sob risco de advertências, multas e até descredenciamento.

“Temos casos de clientes que chegaram à Konduto porque sofriam com uma taxa de chargebacks superior a 7%, e em pouco tempo conseguimos reduzir este índice de maneira drástica – para menos de 0,1% sobre o faturamento. Isso só é possível graças à combinação de tecnologias inovadoras e uma equipe altamente treinada para combater a fraude”, destaca Tom Canabarro.

Atualmente, a Konduto processa mais de 6 milhões de pedidos por mês, de mais de 2 mil lojas virtuais em Brasil, México, Argentina e Colômbia. Baseada em São Paulo, a empresa tem em sua carteira de clientes empresas como Ebanx, Ambev, Fnac, elo7, Clickbus, Guichê Virtual, ConectCar, Panvel Farmácias, Hotmart – dentre outros. Só em 2017, a Konduto ajudou o e-commerce brasileiro a evitar mais de R$ 920 milhões de prejuízo em decorrência da fraude.

O post Antifraude da Konduto coleta mais de 2 mil variáveis para analisar uma venda apareceu primeiro em .